Gestão

Contrate a Pessoa Certa e tenha Liberdade no seu Negócio

7 • abril , 2022

Muita gente não se dedica muito a esse assunto.

Acha que a contratação é: “Vou adquirir alguém no mercado para trabalhar, nesta circunstância que preciso, exatamente para preencher uma função”, mas não percebe a importância que isso tem e o quanto deveria se dedicar a esse aspecto, a essa função da contratação, se dedicar com afinco.

Contrate a pessoa certa e tenha liberdade no seu negócio. Esse é meu lema. Vem comigo que eu te explico como fazer uma boa contratação!


Valores Importantes

Primeiro: quando for contratar uma pessoa, sempre aconselho definir alguns valores que tenha na sua cabeça, que você compartilhe com a sua equipe, valores nos quais acredite realmente.

E você vai verificar se essa pessoa que está contratando reza conforme a mesma cartilha, porque se não tiver essa comunhão de valores entre essa pessoa que está trazendo para sua equipe e os seus próprios valores pessoais, ficará muito difícil.

E com o passar do tempo isso começará a te incomodar.

Você começará a perceber que mesmo essa pessoa estando com você há muito tempo, realmente não casa. Mas tirá-la da equipe será pior do que deixar e você acaba se acomodando. E é assim que nos escravizamos no próprio negócio.

Então, preste bastante atenção nesse assunto da contratação. Eu estava ouvindo um podcast outro dia, do qual eu não me lembro o nome. Mas a pessoa deu dicas valiosas que quero compartilhar com você!


1) Integridade

A pessoa estava falando dos três valores que usa o tempo todo para contratar as pessoas da equipe dela. Uma é que a pessoa tem que ter integridade.

O que é uma pessoa íntegra? É uma pessoa do bem, honesta, uma pessoa que você tem prazer em conviver. Parece simples, mas para isso terá que fazer não só a entrevista formal.

Deve ir a fundo, deixar a pessoa falar muito mais do que você, é ir “cutucando” e explorando, tentando realmente penetrar fundo no âmago dela para detectar se tem essa integridade que você busca. Acho que é um valor interessante para buscar nas pessoas para trabalhar com você. 


2) Perfil de dono do negócio

A segunda coisa que ela falou no podcast, é que você tem que buscar pessoas que tenham o perfil de dono do negócio. Que ajam e executem suas funções como se elas fossem donos daquele negócio. Isso faz uma diferença tremenda na vida!

Quando tem funcionários que entram na sua posição, na função, como se elas fossem donas do negócio, vai te dar um alívio, a pressão em cima de você aliviará de tal maneira, que fará uma diferença enorme no seu dia a dia, porque você sentirá confiança para delegar.

Você sentirá confiança quando estiver numa reunião com esses funcionários que se sentem donos do seu negócio, saberá que estarão dando opinião baseados nesse critério, baseados nesse valor.

Eles realmente se sentem nessa posição, diferente daquelas pessoas que respondem tudo o que você pergunta olhando a empresa pela sua perspectiva de negócio e não da delas. E não é disso que precisa!

Você precisa de pessoas que estejam pensando, colocando suas posições que podem até ser contrárias às suas, e se você for uma pessoa inteligente, resiliente, vai parar e pensar: “isso faz sentido, isso não faz sentido…”, mas sabe que ela estará colocando para fora aquilo que pensa.

Você estará pensando com a cabeça de que, se ela fosse dona do negócio, ela daria essa resposta. Isso é lindo de acontecer!

Ela pode até errar, pode dar opiniões furadas e aí estará sua missão de ir treinando, educando, moldando conforme as coisas que você conhece, conforme a experiência que tem, mas é muito mais legal ter pessoas na sua equipe que tenham esse tipo de iniciativa de cuidar do seu negócio como se fosse delas. 


3) Mentalidade de aprendizado contínuo

A terceira dica também faz parte do meu rol de valores. Tenho meus valores, que já comentei várias vezes em outros conteúdos, mas um deles (e o mais importante, o número 1 que tenho quando contrato pessoas para trabalhar comigo) é a questão do aprendizado contínuo.

São aquelas pessoas que têm uma mentalidade de aprendizado contínuo, que querem aprender, que tem sede de aprender, leem livros, veem vídeos, querem se aprimorar.

E quando digo aprendizado contínuo, não é só “me matriculei numa faculdade”. Não é isso. Se matricular numa faculdade, hoje em dia, não diz que está absorvendo conhecimento neste negócio em questão.

Atualmente há maneiras, formas, novos formatos de aprendizado: com podcast, com vídeos, com livros, com outros meios na internet, cursos online… Tem um rol de possibilidades.

Eu fico muito empolgado! Adoro ter a oportunidade de viver nessa era do aprendizado, em que temos essa teia de possibilidades de absorção de conteúdos que não tinha no passado. Só que muita gente não percebe, não se beneficia disso, não age com essa empolgação do aprendizado no dia a dia. 

São as pessoas que estão ficando pelo caminho. É triste ver uma pessoa que não está disposta, não está disponível ao aprendizado contínuo. Isso quer dizer que é estagnada, que não se preocupa com seu próprio futuro, com o seu auto preparo.

Então, você precisa conseguir detectar essa sede de aprendizado logo na entrevista, logo no começo. E se não conseguiu, vá mais fundo na conversa para detectar.

Essa é a terceira coisa que essa pessoa falou e eu compartilho 100% deste princípio do aprendizado contínuo, de pessoas que amam aprender.

São valores que compartilho porque gosto muito, porque eu sou assim, gosto de trabalhar com pessoas que têm essa mesma vibe que eu. Se a sua vibe é outra, pense qual é. Pense nos seus valores pessoais.

E cada vez que tiver que fazer qualquer tipo de contratação, tente detectar pessoas que mostrem isso, tente cavoucar nas conversas, nas entrevistas que fizer. Perca o tempo que for necessário. Aliás, não é perda de tempo, é investimento. 


Contratação é investimento

Pense que, cada contratação que fizer, a pessoa ficará com você durante 3, 4 anos. Imagine se ela render 70% do que poderia render? Ou que gostaria que ela rendesse?

Agora, pense nisso durante 36 meses, durante um período de três anos, rendendo 70% do que esperaria que ela rendesse.

Olha o desperdício de talento, de tempo, de tudo que está tendo na sua vida! Contrate a pessoa certa e ela renderá muito mais.  


Qualificação

A segunda coisa que temos que levar em consideração na contratação é a questão da qualificação. Quais são os requisitos mínimos que temos que prestar atenção nessa pessoa que estamos contratando? Isso dependerá do quão formatado você é na sua operação.

Se for uma operação muito bem formatada, com todos os processos definidos, tudo muito bem desenhado, tem seu manual de operações, todo mundo sabe o que fazer, tem um esquema de onboarding dessas pessoas, um sistema de chegada, de familiarização com a sua operação muito bem estabelecido, faz a designação de padrinhos para um funcionário…

Quanto mais organizado você estiver na sua própria formatação da operação, menos qualificada tem que ser a pessoa que você está contratando. 

Olha que interessante: quanto mais organizado menos qualificado. Eu digo no sentido de conhecimento. Menos conhecimento a pessoa vai precisar trazer consigo na bagagem, porque você vai oferecer isso, vai treinar a pessoa, você tem tudo organizado, tem todo conteúdo que a pessoa precisa para executar bem, na maioria dos casos, na maioria das funções que você tem no seu estabelecimento.

E por que eu digo “na maioria das funções”? Porque tem certas funções que não basta simplesmente a pessoas saber ler e escrever, por exemplo.

Saber ler e escrever são o básico, na grande maioria das funções de um restaurante, se a pessoa sabe ler e escrever bem, ela vai ler todos os processos, vai entender, vai aprender, ela vai ver como é que funciona. Isso na maior parte das funções operacionais.

Mas para funções como financeiro, administrativo, até cozinha mesmo, que a pessoa precisa de algum conhecimento e experiência a mais, aí você tem que determinar previamente quais são os requisitos mínimos.

Então, você escreve lá “para este cargo, os requisitos mínimos que estou buscando são esse, esse, esse …” além daqueles valores que acabamos de conversar para detectar nas pessoas, que  são outra coisa. Os valores não têm nada a ver com os requisitos mínimos de conhecimento, de bagagem que ela trará para dentro da sua empresa.


Contratação é uma das coisas mais importantes para ter liberdade

Resumindo, contrate a pessoa certa e tenha mais liberdade. Se dedique ao processo de contratação e ao treinamente de equipe. São as coisas mais importantes para você ter aquela tão sonhada liberdade e ter pessoas competentes trabalhando na sua equipe. 

Aí, terá uma empresa que andará sozinha. Isso aliado aos processos que você implantará na sua empresa, fará com que tenha essa liberdade, fará com que tenha um negócio que, num futuro próximo, andará com as próprias pernas.

Contratando pessoas boas, pessoas que você confie, pessoas que você tem vontade e curta trabalhar com elas.

Porque, afinal de contas, o trabalho também é muito difícil, muito estressante, esse nosso ramo é intenso e ninguém merece trabalhar com pessoas que a gente não goste de trabalhar, com as quais no se sente confortável perto, que não curtam as mesmas coisas.

Vamos combinar. A vida é curta para conviver com pessoas que a gente não curte!

Marcelo Politi

Compartilhe:

Share on facebook
Share on whatsapp
Share on telegram
Share on linkedin
Share on email
Share on print

Método ENG - As 6 Rotas P/ Ter um Restaurante Lucrativo e Independente